Arquivo do Autor

Você e a Política

Estamos entrando em uma época “importante” para a história do país, uma situação onde as diferenças entre seres humanos é evidente entre os habitantes desse extenso território nacional.

Não querendo evidenciar minhas orientações políticas – as mesmas que já geraram duelos, tapa na cara e arrancaorelha entre alguns membros do MMN – , gostaria de salientar que está em nossas mãos o futuro dessa “gironda” que se chama Brasil.

Não canso de observar coisas erradas, maracutaias e orgias financeiras de nossos representantes políticos. Todos tem o mesmo perfil, eles não tem a sua cara (só se você quiser, mas ae o problema já é todo seu).

Jovem, não sou FN, não vou dizer que você tem “probleminha”, muito menos vou chama-lo de “TROLL”, só vou le atribuir o título de abobado, pois você está ai parado, olhando a twittcam de alguma vagabunda juvenil e ouvindo Fiuk , olhado o Chris Rock e ouvindo Sublime (droga, esse sou eu), olhando tv cultura e ouvindo Chico Buarque, não interessa o tipo de babaca abobado que você é,  só por estar ai parado.

Se levante e mostre sua cara, que você tem força e pode mudar o mundo atuando nessa tórrida suruba (aaaah, to dentro) política (humm…) sem diversidade.

Stéf Vieira ( http://cerio.blogs.sapo.pt )

10 agosto, 2010 at 12:45 am Deixe um comentário

Top 10 modinhas que acabaram, ou deram um tempo!

Salve, salve, salve bons leitores!!

Nossa, nem acredito! Malandro novamente anda metido a nerd!

Mas estamos de volta, com grande prazer de novamente compartilhar com nossos amigos a alegria (tá sem frescura, muito menos viad*) de escrever nossas besteira, que na verdade de besteira não tem quase nada! E para recomeçar, vou postar um grande e engraçado video de um chará de minha pessoas! Porque na natureza nada se perde, nada se cria… Tudo se copia!

Só pra divertir!

16 maio, 2010 at 11:21 pm 1 comentário

Formigas ou abelhas?

“Formigas vivem juntas, e juntas as abelhas fazem mel”

Uma frase perdida numa letra de um famoso grupo de rap, me fez refletir o quão esses organizados fonemas tem efeito na sociedade.

Por mais que vivemos em sociedade, temos bons amigos e uma família, nosso grau de egoísmo e tão grande que não duvido que muitos de nós passaríamos por cima de tudo e por cima de todos para um bem “maior”.

Esse bem maior muitas vezes é tão pequeno, mesquinho e muxoxo que não merece nem ser reconhecido. Uma paixão, um carro, uma vaga na faculdade parecem ser muito mais importante que uma amizade sincera.

Não penso em alguma outra coisa além de SER FELIZ, tenho isso na mente, mas minha felicidade tem uma restrição básica, nunca passar por cima de ninguém e muito menos humilhar alguém desnecessariamente. Fora isso tudo é válido.

Você, leitor, malandro que é, mesmo, as vezes, metido a nerd, deve estar se perguntando, e onde entra a frase ditada no princípio do post.

Entra nesse exato instante. Não seja como as formigas, não deixe pra trás as pessoas em que você confia e por mais que você tenha um sonho absurdo, nun

ca o ponha na frente dos seus amigos. Eles o apoiaram e quem sabe até serão fundamental na sua jornada.

Seja como as abelhas.

Uma noite qualquer perguntei para um amigo com palavras semelhantes a essas, que se algo acontecesse e nos distanciarmos, ainda manteríamos contato.

Ele respondeu!

– Sem dúvida.

E nesse momento me senti recompensado em ter a certeza da sinceridade da resposta e de ter a noção de seguir o caminho do enxame de abelha.

Não tenho 15 anos, não tenho atitudes pré-adolescentes típicas de quem faz essas perguntas. Simplesmente, percebi o quão as abelhas precisam umas das outras para buscar o bem comum. A mesma necessidade que o ser humano tem para seguir em busca da felicidade.

E você vai seguir quem? As formigas ou as abelhas? Você decide!

Não tenha medo de ser como abelhas!

10 maio, 2009 at 1:21 pm 5 comentários

SEM TIMENTO

Me considero uma pessoa fria, acho até que sou capaz de tomar decisões importantes, corretamente, em curtos espaços de tempo.

Mas quando mais eu tento ser frio e eliminar sentimentos de fraqueza, mais sentimentos vem a tona. Tenho que admitir que ter sentimentos é natural do ser humano, mas dentro dos meus objetivos e ideais é necessário mantê-los sob controle.

Porém 3 sentimentos são quase impossíveis de serem controlados e alteram a “razão” de qualquer pessoa, significativamente.

*Pena
*Remorso
*Medo

Esses 3 sentimentos nos tornam facilmente manipuláveis e precisam ser controlados.

Normalmente não tenho o hábito de dar dinheiro para pessoas nas ruas (mas geralmente acabo cedendo), mas me abalei quando uma senhora de idade um pouco mais elevada, bem vestida, me abordou na calçada pedindo alguns trocados para comprar feijão para suas respectivas netas – que não estavam presente -, estava cedo, eu me dirigia para academia, estava feliz ouvindo música, não tinha um centavo qualquer.

Falei que não tinha e ela seguiu sua caminhada sem esboçar nenhuma expressão e sem pronunciar mais nenhuma palavra. Botei meus fones no ouvido e continuei a me locomover, foi quando me bateu o primeiro sentimento.

PENA, me convenci que ela realmente precisava do dinheiro para o alimento e que não era o primeiro e nem o ultimo a responder negativamente seu pedido. Logo em seguida percebi que REMORSO era a palavra, o que ela poderia pensar de mim? (para quem não consegue perceber a situação, o sentimento foi muito parecido ao que senti na cena do filme “A procura da felicidade” quando Chris e seu filho estão na fila do alojamento e passa um carro cheio de jovens despreocupados com a situação rindo de algum fato não ligado ao acontecimento). O MEDO de não saber o que aconteceria depois disso fechou a situação.

Desliguei o MP3.

Perdi toda “RAZÃO” que tentava cultivar.

Não sou a justiça, mas só me sinto completo sendo o mais justo possível. Não me considero perfeito, longe disso, mas me considero honesto. Muitas vezes não sou NOBRE o suficiente para perdoar algum ato, mas me sinto nobre para tentar beneficiar quem merece. Isso pode ter, muitas vezes, pontos negativos, minha justiça pode não ser a verdadeiramente correta, assim posso prejudicar alguém que não merecia ser prejudicado.

Pode parecer paradoxal ou irônico, mas tenho um conselho. Tome muito cuidado com seus sentimentos, e com os dos outros também.

21 abril, 2009 at 10:50 pm 3 comentários

Barulho do silêncio!

Quem nunca parou e ficou contemplando os momentos de tranqüilidade e relaxamento que esse barulho nos proporciona?

O que seria isso? Criação da nossa cabeça – quem sabe nossa rotina nos faça ter a impressão de barulho prolongado em nosso cérebros -, eco de silencio ou simplesmente a ausência de sons?

O fato é que todos ouvimos esse zunido abstrato que denominamos barulho de silêncio!

Fisicamente, qualquer onda sonora sem uma freqüência e uma amplitude contínua é denominada de barulho. Fisicamente todos os tipos de música, exceto algumas notas de musica clássica, são barulhos.

Como todo brasileiro é apaixonado por música, geralmente música clássica não é a nossa primeira opção, podemos dizer que somos bombardeados diariamente por barulhos – tantos musicais como barulhos cotidianos de algum centro urbano – , que muitas vezes passam despercebidos e nos sentimos em silêncio nos mais altos decibéis.

A situação contraria é a ausência de sons  – que temos que entrar em acordo – que após uma semana tumultuosa, uma madrugada de sábado para domingo tem ares aristocráticos e estimulantes ao som do barulho relaxante do silêncio.

Convidativo para uma boa leitura ou uma reflexão mais complexa do ser, a degustação de uma bebida de qualidade pode aumentar mais ainda a sensação de climax , sozinho ou bem acompanhado, geralmente em lugares mais afastados onde podemos apreciar a natureza ou até mesmo dentro de um quarto fechado.

Se você ainda não sentiu essa sensação eu recomendo, a viagem é tão intensa que pode ser até comparada com uma droga, mas sem efeitos colaterais prejudiciais. Relaxe e sinta o barulho do silêncio!

4 abril, 2009 at 10:04 pm 7 comentários

Um mendigo elegante…

Vejo um mendigo elegante na rua…”

Hóstia, O rappa

Passado 2 meses da primeira vez que ouvi essa frase, me perguntei o que seria a elegância do mendigo na rua! Imaginava um mendigo de terno ou smoking, bebendo espumante com sua esposa. Mas sem dúvida não era isso. A resposta veio essa semana com dois fatos isolados que aconteceram comigo.

Terça, aproximadamente 12 horas e 30 minutos no trem, vejo que uma mulher se levanta de seu acento, mas curiosamente não se dirige a porta e continua sua viagem. Sentei no lugar antes ocupado por ela e percebi o porquê dessa atitude.

O homem ao seu lado estava bêbado, muitos risos de pessoas menos próximas e o desgosto dos que se localizavam perto dele era visível.

Por incrível que pareça, meio intimidado, comecei uma conversa, pronto para me defender numa ocasião de risco. Muitos continuavam rindo, agora de mim também, mas continuei. Nada de surpreendente a conversa, um homem desafortunado que se encontrava bêbado. Parece irônico, mas, infelizmente, é comum. Mas isso não foi nada, apenas uma “preparação”!

Um dia após, fura o pneu do carro do meu brother, 3 homens e uma mulher. Nenhum sabia trocá-lo. Já era tarde, perto das 23 e 30, foi quando avistamos de longe um homem, mal vestido, sim…. Guardador de carro? Mendigo? Não sei! Ele chegou perto e parou, ficou observando. Após um tempo já estávamos apavorados, foi nesse momento que ele parou do meu lado e ficou olhando.

Quando ele fez um movimento brusco eu pensei no possível assalto que tanto temíamos. Mas nesse movimento ele pegou o macaco da minha mão e simplesmente tirou o estepe – sim, essa foi a parte mais difícil, pelo fato de o estepe do carro estar em um lugar onde ninguém imaginava, embaixo do carro – e começou a trocar o pneu. Demorou uns 5 minutos até ele falar a 1ª palavra.

Ele trocou o pneu conversando elegantemente conosco. Da mesma maneira que chegou, timidamente, elegantemente. Sim, um mendigo elegante na rua. Pagamos 5 reais para ele e nos retiramos comentando o fato. Entre tantas desigualdades, vimos que uma pessoa honesta (mal julgada por mim e meus amigos), elegantemente no jogo da vida viraria um mendigo. Esse é o jogo, não tente entender, pois enlouquecerá, não pense em simplesmente aceitar, pois negligenciará, apenas jogue.

19 março, 2009 at 7:23 pm 5 comentários

#16 O que é direito?

Invadindo a área do R.C.

18 março, 2009 at 11:57 pm 2 comentários

Posts antigos


Arquivo

Visitantes

  • 93,590 Hadoukens