Quando um brucutu vira Romeu

Não são raras as vezes em que presenciei a cena. Quando o cara se envolve emocionalmente com alguém o cara muda. A guria também muda, mas eu vejo a maior mudança no lado masculino. Por experiência e por conhecer pessoas assim, nos vários casos de “amor I love you” que eu vi o cara vira um completo apaixonado dos anos 70.

No começo é aquele CLIMA DE AZARAÇÃO (abraço, Soster!), onde o cara paga de malvadão, de bonzão e que ele é o que pega todas e não ta nem aí pra guria. Porém (aaaa os poréns) todo mundo sabe que o mesmo “gostosão” ta todo apaixonado e louco pra ficar quietinho só com a guria que ele gosta. Ah, to mentindo então?

Depois que começam a ficar, ocorre aquela coisa de ele tentar botar a mão na bunda e ela tirar, dando uma risadinha e dizendo “não te bobeia” (mas que na real ela ta louca pela sacanagem). Tem também a primeira pegada no peitinho que o cara não esquece (porno mode ON), a primeira ida na casa da sogra, o primeiro churras em família e por aí vai.

Enfim, aos poucos o “valentão” vira o tão esperado Romeu. Siiiiiim! Aquele lá das frasesinhas melosas e que morreu e dai a mulher se matou e depois o cara não tinha morrido e blá, blá, blá.
O cara vira o Romeuzinho, todo cheio do amor pra dar, procura coisas legais, frases bonitas e vira o cara que a guria queria. QUERIA! Rá! Tomou malandrão! Depois de virar o Romeu, o cara leva o singelo pé na bunda e fica lá, com cara de concha, infurnado num quarto chorando as pitanga.

Brucutus do meu coração, meus amigos, não se transformem em um meloso-chorão-love-me-tender-love-me-do, PER FAVORE! Sejam originais, sejam autênticos e façam coisas que realmente impressionem a guria e façam ela ficar perto de vocês! Frases prontas tem o mesmo efeito que um “oi, tu vem sempre aqui?“, ou seja, nenhum.

Podem me chamar de babaca e que vocês sabem o que fazem, mas não reclamem se eu aparecer pegando a guria de vocês. (Só pra provocar a discórdia)

Anúncios

12 maio, 2009 at 12:12 pm 5 comentários

Missão Porto Alegre – Vila Fátima 2009

Finalmente começo o meu processo de me tornar um voluntário. Achei no site da PUC um programa bem tri, uma pastoral na realidade: Centro de Pastoral e Solidariedade PUCRS.

Pra começar, o projeto Missão Porto Alegre – Vila Fátima 2009. Abaixo, as informações:

O Projeto Missão Porto Alegre – Vila Fátima 2009 recebe inscrições

A sexta edição do projeto “Missão Porto Alegre – Vila Fátima 2009” será realizado entre os dias 24 e 30 de julho.
As pré-inscrições estão abertas no site, com confirmação de inscrição através do comparecimento no Centro de Pastoral e Solidariedade, prédio 17, sala 101, preferencialmente, nas terças-feiras, das 15h30 às 20h, até 05 de junho.

Investimento: R$ 10,00 por dia – inclui alimentação, transporte e camiseta.

Outras informações pelo telefone (51) 3320-3576 ou e-mail universidademissionaria@pucrs.br
(link original da notícia)

Mesmo sendo só em julho, já confirmei minha presença me inscrevendo hoje. Se tu quiser te inscrever também é só clicar aqui e depois clicar em “Ficha de Pré-Inscrição“, bem tranquilo.

A vida é tri legal!

Original do Nem me viu. ;)

11 maio, 2009 at 1:24 pm Deixe um comentário

Formigas ou abelhas?

“Formigas vivem juntas, e juntas as abelhas fazem mel”

Uma frase perdida numa letra de um famoso grupo de rap, me fez refletir o quão esses organizados fonemas tem efeito na sociedade.

Por mais que vivemos em sociedade, temos bons amigos e uma família, nosso grau de egoísmo e tão grande que não duvido que muitos de nós passaríamos por cima de tudo e por cima de todos para um bem “maior”.

Esse bem maior muitas vezes é tão pequeno, mesquinho e muxoxo que não merece nem ser reconhecido. Uma paixão, um carro, uma vaga na faculdade parecem ser muito mais importante que uma amizade sincera.

Não penso em alguma outra coisa além de SER FELIZ, tenho isso na mente, mas minha felicidade tem uma restrição básica, nunca passar por cima de ninguém e muito menos humilhar alguém desnecessariamente. Fora isso tudo é válido.

Você, leitor, malandro que é, mesmo, as vezes, metido a nerd, deve estar se perguntando, e onde entra a frase ditada no princípio do post.

Entra nesse exato instante. Não seja como as formigas, não deixe pra trás as pessoas em que você confia e por mais que você tenha um sonho absurdo, nun

ca o ponha na frente dos seus amigos. Eles o apoiaram e quem sabe até serão fundamental na sua jornada.

Seja como as abelhas.

Uma noite qualquer perguntei para um amigo com palavras semelhantes a essas, que se algo acontecesse e nos distanciarmos, ainda manteríamos contato.

Ele respondeu!

– Sem dúvida.

E nesse momento me senti recompensado em ter a certeza da sinceridade da resposta e de ter a noção de seguir o caminho do enxame de abelha.

Não tenho 15 anos, não tenho atitudes pré-adolescentes típicas de quem faz essas perguntas. Simplesmente, percebi o quão as abelhas precisam umas das outras para buscar o bem comum. A mesma necessidade que o ser humano tem para seguir em busca da felicidade.

E você vai seguir quem? As formigas ou as abelhas? Você decide!

Não tenha medo de ser como abelhas!

10 maio, 2009 at 1:21 pm 5 comentários

Te cuida ‘I love you’

Seguinte gurizada, ta tudo muito ESCULHAMBADO! Ou eu fiquei louco de vez, ou o mundo ta muito mudado! Cá estava eu, olhando alguns blogs dessa internet vasta e mirabolante quando, de repente, me deparo com uns TROÇOS meio estranhos. Vem cá hein, eu sou muito velho ou a frase “eu te amo” é tipo um “bom dia” nos dias de hoje? Porque assim, sinceramente VOS FALO que desde que me conheço por gente falar “eu te amo” era uma coisa linda e muito massa. Hoje parece que mudou, não?

Orkut é uma prova viva disso. Vejamos:

– Um dia tá lá o magrão com um “EU TE AMO JOSECLEIDE!”. Só love e só “more” pra cá, “florzinha” pra lá, ‘coLsa‘ mais meiga.

– Passa-se UM MÊS e o magrãozinho ta com um: “O AMOR É UMA DOR!“. Todo tristonhozinho-méldéls-que-coisa-triste-ora-pois.

– Duas semanas depois, lá tá o mesmo cara dizendo: “Agora eu to SOLTEIRO e ninguém vai me segurar! Daquele jeito!

– No outro mês: “TE AMO JUVENALDA!”. “Óin ti goxxxtuu muiituuu!!“, “Aiinn amei txi ver ontiiiiii!!“, “Uo, uo, olha meu amor!! Uooo, você vai onde eu vou!!

Pois bem, será que a gurizada anda mesmo INLOVE (abraço, Nath!) assim ou tão só pelo SAMBARILÓVI e eu que to perdido no tempo? Porque assim minha gente, onde eu me criei se falasse “eu te amo” o pai da guria CARNEAVA UM BOI e já rolava um casório. ‘VAMO SE RESPEITA’!!

Não diz que ama, pelamor… NÃO DIZ! Chega e manda um “te adoro“, “te curto“, “gosto de ti“, “te LOVEIO” (abraço, minha ex!), mas não vai mandando “te amo” como se fosse uma metralhadora giratória. Calma lá, amigos!

Como diria alguém, pra não dizer eu mesmo, nem toda buceta órgão genital feminino vale um anel! (ns)

7 maio, 2009 at 1:09 pm 2 comentários

Lava, lava, lava

Olá pessoas. Hoje eu to de mau humor, mas assim, muito mau humor. Vim postar pra enxer a paciência dos leitores e vê-los me xingar. Ta, é tudo mentira isso aí, mas eu acordei MAL hoje.

Uma cena me EMBASBACOU demais hoje pela manhã. Fui tomar o meu banho normalmente quando do nada FALTA LUZ. Ok, sem pânico, vamos ligar o gás. Nada de água quente. “Mããããeee, liga o gás!!” E a resposta fatal: “ACABOU O GÁS!!” Ok, Beretta, ok, sem pânico.

Se tu é do Rio Grande do Sul sabe que hoje de manhã o clima tava FRIO, assim de colocar MOLETON. Se não é, agora sabe como tava o tempo. Dai a mãe toda caridosa abre a porta e solta a frase: “Lava só o essencial e vai trabalhar!” oO’

PELAMOR!!! O QUE É SÓ O ESSENCIAL??

Lavo o PINTO e o SUVACO, seria isso? Acho que sim, afinal, só isso que a gente suja. ¬¬’
Isso já aconteceu com vocês? Já pensaram no que seria o “essencial” na hora do banho? Ta, quando eu tinha uns 13 anos eu sabia bem o que era essencial nos meus banhos de uma hora. x)

Olha, EURI com a situação, nem dei importância pro meu banho frio BAGARAI!

E ah, pra constar, eu lavei TUDO, seus safados!

6 maio, 2009 at 11:07 am 4 comentários

Pronome

No decorrer de algumas semanas eu fui me tocando de algo que nem sempre prestei atenção. Na realidade acho que nunca tinha me ligado nisso. Mas vocês já perceberam que quando temos algo em mãos, algo conquistado, a gente não da mais tanto valor? Explicarei meu ponto de vista.

Um exemplo é algo que queremos comprar, seja aquele tênis ou aquela camiseta. No começo é um “auê”, todo cuidadoso, não pode sujar o tênis, não pode manchar a camiseta e por aí vai. Depois? Bem, passa um mês e o tênis já parece ter uns dois anos de uso, a camiseta já ta toda desbotada, enfim, fica tudo mal cuidado.

Se for citar o fator “pessoas”, já perceberam que depois de conquistar alguém, ou reconquistar, algumas vezes nós cruzamos os braços e achamos que já fizemos o que deveria ser feito? Ontem mesmo eu falava com meu primo (a namorada dele acabou com ele depois de dois anos) e ele me disse que tinha se acomodado. Ele já não demonstrava mais que gostava dela, não fazia o que fez pra conquistar ela, ou seja, depois que conseguiu o que queria, parou de tentar agradar.

Cena do filme "A walk to remember"

Na minha cabeça o ato de “conquistar” tem que ser todo dia. Não é fazer uma dramaturgia e declarações à lá novela mexicana, mas simplesmente demonstrar com pequenos gestos que aquela pessoa é especial e que tu te importa com ela. “Ser” um casal é algo difícil, não é tão fácil como muitos dizem, não basta somente gostar, é preciso mostrar que gosta.

O maior problema encontrado pelas pessoas que conheço, inclusive eu, é começar a pensar como “nós” e não apenas como “eu”. Quando o “nós” começa a falar mais alto as coisas começam a dar certo, o relacionamento melhora, a felicidade é encontrada e tudo fica bem.

Não cruze os braços! Comece a pensar como “nós”!

4 maio, 2009 at 12:12 pm 3 comentários

SEM TIMENTO

Me considero uma pessoa fria, acho até que sou capaz de tomar decisões importantes, corretamente, em curtos espaços de tempo.

Mas quando mais eu tento ser frio e eliminar sentimentos de fraqueza, mais sentimentos vem a tona. Tenho que admitir que ter sentimentos é natural do ser humano, mas dentro dos meus objetivos e ideais é necessário mantê-los sob controle.

Porém 3 sentimentos são quase impossíveis de serem controlados e alteram a “razão” de qualquer pessoa, significativamente.

*Pena
*Remorso
*Medo

Esses 3 sentimentos nos tornam facilmente manipuláveis e precisam ser controlados.

Normalmente não tenho o hábito de dar dinheiro para pessoas nas ruas (mas geralmente acabo cedendo), mas me abalei quando uma senhora de idade um pouco mais elevada, bem vestida, me abordou na calçada pedindo alguns trocados para comprar feijão para suas respectivas netas – que não estavam presente -, estava cedo, eu me dirigia para academia, estava feliz ouvindo música, não tinha um centavo qualquer.

Falei que não tinha e ela seguiu sua caminhada sem esboçar nenhuma expressão e sem pronunciar mais nenhuma palavra. Botei meus fones no ouvido e continuei a me locomover, foi quando me bateu o primeiro sentimento.

PENA, me convenci que ela realmente precisava do dinheiro para o alimento e que não era o primeiro e nem o ultimo a responder negativamente seu pedido. Logo em seguida percebi que REMORSO era a palavra, o que ela poderia pensar de mim? (para quem não consegue perceber a situação, o sentimento foi muito parecido ao que senti na cena do filme “A procura da felicidade” quando Chris e seu filho estão na fila do alojamento e passa um carro cheio de jovens despreocupados com a situação rindo de algum fato não ligado ao acontecimento). O MEDO de não saber o que aconteceria depois disso fechou a situação.

Desliguei o MP3.

Perdi toda “RAZÃO” que tentava cultivar.

Não sou a justiça, mas só me sinto completo sendo o mais justo possível. Não me considero perfeito, longe disso, mas me considero honesto. Muitas vezes não sou NOBRE o suficiente para perdoar algum ato, mas me sinto nobre para tentar beneficiar quem merece. Isso pode ter, muitas vezes, pontos negativos, minha justiça pode não ser a verdadeiramente correta, assim posso prejudicar alguém que não merecia ser prejudicado.

Pode parecer paradoxal ou irônico, mas tenho um conselho. Tome muito cuidado com seus sentimentos, e com os dos outros também.

21 abril, 2009 at 10:50 pm 3 comentários

Posts antigos Posts mais recentes


Arquivo

Visitantes

  • 94,035 Hadoukens